junho 14, 2012

Os banhos de mar no final do séc. XIX

Os banhos terminavam por volta das 9h00, e os banhistas eram mergulhados no mar com a ajuda do banheiro.



Às 10 horas era o almoço, e às 4 da tarde era servido o jantar. Entre estas duas refeições os banhistas entregavam-se ao “dolce farniente” da vida social local, como tão bem ilustra Eça de Queiroz:”… Logo pela manhã estava a pé! Era hora do banho: as barracas de lona alinhavam-se ao comprido na praia; as senhoras sentadas em cadeirinhas de pau, de sombrinhas abertas, olhavam o mar, palrando (…) Ela saía então da barraca com o seu vestido de flanela azul, a toalha no braço (…) Depois, de tarde, eram os passeios à beira-mar, a apanhar conchinhas…”

in: Eça de Queiroz -  O Crime do Padre Amaro, Edição Livros do Brasil, Lisboa, 2000, pp. 82 e 83.