janeiro 22, 2015

A alegre vida de Albufeira

«Enquanto almoço, observo o movimento. Camionetas de luxo despejam excursões coloridas de turistas, que logo preparam as máquinas fotográficas. Carros abertos, barulhentos e de dois lugares, sempre um rapaz e uma rapariga, ultrapassam os automóveis familiares, rodam por entre mulheres de mini-saia, homens de calção e camisola. Grupos lentos de camponeses passam, olhando. Vieram para ver, não para viver, a alegre vida de Albufeira.»



in: FONSECA, Manuel da, 1987, Crónicas Algarvias, Caminho, 2.ª Edição.